RESENHA: EXTRAORDINÁRIO, R. J. PALACIO

16:05



Título: Extraordinário
Título Oficial: Wonder
Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Ano de edição: 2013
Número de páginas: 320
Nota: 10/10
Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
_______________________________

Sinceramente não sei como começar esta resenha sem primeiro dizer: LEIAM ESTE LIVRO AGORA MESMO! Mas vocês podem estar se perguntando: Carol como leirei este livro sendo que nem sei do ele se trata? Antes de tudo queridos, confiem em mim! Segundo esta resenha não será algo qualquer, terá muito amor e paixão depositados nessas palavras, então sim, vale muito a pena lê-lo. Ele não é um livro qualquer, uma historinha que lemos e pronto. Independente da fase da sua vida em que você esteja, ele o fará enxergar coisas talvez nunca antes vistas por si próprio, mas que sempre estiveram aí, bem debaixo do seu nariz.
Confesso também que comecei a lê-lo no dia do enterro do meu tio, eu já estava bastante comovida com todos os acontecimentos, porém, este livro chegou já me trazendo alegria, gentileza, auto-aceitação e muitos sentimentos que até hoje ainda transbordam do meu coração. Ele é capaz de mudar vidas, mentes e abrir espaço para termos as perguntas certas para o tempo certo.
O livro "Extraordinário" da autora R. J. Palacio, conta-nos a incrível história de August Pullman  ou Auggie para os mais íntimos  que aos 10 anos já passou por muita coisa, inclusive enfrentar 23 cirurgias plásticas, sofrer bullying desde que saiu da barriga da mãe, ter que suportar as risadinhas e as viradas de olho dos vizinhos, colegas de escola, etc, além de ter uma família super-protetora, cheia de amor para dar e sempre tratando o filho como o Sol de todo o sistema da família Pullman.
Porém tudo muda na vida de Auggie quando a mãe (Isabel) insinua querer ingressar o filho numa escola particular,  que por sinal era algo novo para ele pois estudava em casa e o que ele chegava perto de ter ido há uma escola foi indo as apresentações de sua irmã mais velha Olivia ou Via  enquanto o pai (Nate) era totalmente contra todo o processo de adaptação do filho em uma escola e a saída dele diária de casa.
Depois de realizados diversos testes para a entrada de admissão na escola, sem o filho saber, dizendo ser um teste de QI, ele consegue passar para assim consegui estudar na Beecher Prep, uma das melhores escolas do Ensino Fundamental II. Quando a mãe recebe a notícia, chega a tão esperada hora de August decidir se iria querer ou não estudar o quinto ano naquela escola ou continuar com as aulas em casa que sua mãe lhe dava durante a semana. Por este motivo. o Diretor da escola, Sr. Buzanfa, convoca durante às férias August e Isabel para que conheçam melhor o ambiente escolar e realizar a matricula caso eles optem por ela. Desta forma, o Sr. Buzanfa organiza um comitê de boas-vindas ao novo aluno, contendo três integrantes: Jack, Julian e Charlotte. Enquanto Isabel continuava conversando com o Diretor e sua assistente, Sra. Garcia, August perambulava pela escola, descobrindo onde ficava a sala de aula 301, o laboratório de ciências, a quadra de esporte, dentre outros. Neste meio tempo ele já começa a perceber que algumas crianças não estão sendo boas com eles, fazendo perguntas ofensivas, como: "Você se queimou no incêndio?" e coisas do tipo.  
Após a saída da escola, assim que voltam para a casa, a mãe de August descobre o que houve durante o passeio e se sente culpada por querer incentivar o filho a ir para a escola, enquanto os papéis se invertem e desta vez o pai decide que o melhor seria o filho ir estudar, amadurecer e não ficar o tempo todo dentro de casa. Assim, os três conversam e entram e um acordo: Caso não goste da escola, ou aconteça algo de ruim e prejudicial para o August, eles irão tirá-lo de lá o mais rápido possível.
Como sempre o primeiro dia de aula em uma escola nova, não é fácil para ninguém, mesmo você sendo tímido ou extrovertido, não importa, pois sempre o seu esforço para ser notado, ou deixar de ser, será pouco, agora imagine se você têm " Disostose Bucomaxilofacial previamente desconhecida causada pela mutação de um autossomo recessivo no gene TCOF1, localizado no cromossomo 5, complicada por uma microssomia hemifacial característica do espectro óculo-aurículo-verbal"? (Caso não tenha entendido nada dentro dos parênteses em um resumo seria: uma "anormalidade crânio-facial") Já estava claro que as pessoas iriam se assustar assim que vissem sua aparência para depois julga-lo como um ser deformado, além de compará-lo a um alien ou coisas piores. Isso já é um fato, além de Julian continuar sendo malvado com ele e espalhar a "praga" pela escola  a praga se resume em, caso você encoste no aluno deformado, August, você teria apenas 30 segundos para limpar senão precisaria passar isso para outra pessoa, como o "toque do queijo" de O Dário de Um Banana  fora isso, algumas coisas foram ótimas para este aluno extraordinário: conheceu a Summer, uma amiga que senta com ele no almoço desde o primeiro dia de aula sem que ninguém havia pedido para que ela fizesse isso, o Jack ser seu amigo e sentado do seu lado em todas as aulas juntos, enquanto seus colegas se mantinham longe. As aulas foram agradáveis e conseguiu aprender tudo de primeira.
O livro não é baseado em fatos reais, mas ainda sim conseguimos ver que os assuntos abordados fora a doença genética de August (como ela é bastante rara, quase ninguém acredita que ela exista até que aconteça perto) é algo muito real, as conversas parecem ser reais, o modo como as pessoas se comportam e tratam umas as outras conseguimos perceber isso no dia a dia, a única diferença são a troca de identidade dos indivíduos. O livro demonstra o bullying frequente que o protagonista acaba recebendo, além de seus únicos amigos terem que passar isso junto com ele apenas por se manterem perto de alguém que é exatamente comum, ele é um menino comum, só não têm um rosto comum! O livro apresenta a falta dos pais, que Miranda, amiga de Via, possuí. Mostra a rebeldia na adolescência, na auto-aceitação, a gentileza, o afeto, o respeito, o amor puro de um criança, a falta de igualdade, a rivalidade, inveja, ciúmes, compaixão, medo e outra infinidade de palavras.
Mesmo não contando a história toda é fácil perceber o quanto o personagem amadurece ao longo da leitura, mesmo sendo um menino de dez anos. Ele aprende bastante, não só na escola, com a cadeira, a mesa e um lápis de escrever, aprende também na escola da vida. Aprendemos com os personagens, mesmo sem querer e esta é a parte legal.
A história em si é um pouco triste mais vale muito a pena a leitura!
Sei que este ano a maioria dos livros que estou lendo é sobre algum tipo de auto-ajuda em inúmeras áreas, mas não me importo, pois independente de que livro vocês leiam se gostou ou não, sempre haverá aquela lição a se tirar dela e é isso que tento reconhecer em todas as leituras, às vezes é mais fácil outras são mais complexas, mas sempre haverá um trecho, uma palavra, uma frase de reflexão que irá ficar guardado no coração.
A escrita do livro é bem leve, mesmo tendo mais de 300 páginas, consegui ler ele inteiro em apenas um dia, apenas uma parte do livro que eu não entendi, o livro em si é separados em partes,  ao todo são oito  em que vemos não só como o protagonista mas também como outras pessoas vêem os acontecimentos. Porém existe a parte em que o namorado da Via aparece, Justin, onde se não prestamos muito atenção não entendemos essa parte da história, a maioria dos acentos não aparecem, nem mesmo letras maiúsculas, o que dificulta esta parte da leitura, o restante do livro encontra-se em perfeito estado com uma diagramação perfeita e uma capa que retrata uma pequena parcela do que podemos encontrar no livro, pois não há apenas o diferente nele, há o amor, conseguimos sentir o tanto que a autora conseguiu despejar de colheradas desse sentimento enquanto o escrevia.
Por último, irei deixar uma parte do livro que me tocou bastante e me inspirou a escrever inúmeros textos que vemos aqui no blog hoje.
" ..."Mais gentil que o necessário" - repetiu. - Que frase maravilhosa, não é? Mais gentil que o necessário. Porque não basta ser gentil. Devemos ser mais gentis do que precisamos. Adoro essa frase, essa ideia, porque ela me lembra que carregamos conosco, como seres humanos, não apenas a capacidade de ser gentil, mas a opção pela gentileza. O que isso significa? Como isso é medido? Não podemos usar uma régua. É como eu estava dizendo antes: a questão não é medir quanto vocês cresceram este ano. Não dá pra quantificar com precisão, não é? Como sabemos que fomos gentis? O que é ser gentil, a propósito? ..."
_______________________________

Alguém aí já havia tido a oportunidade de ler este livro? Se a resposta for sim, o que mudou na vida de vocês após essa leitura?
Espero que tenham gostado da resenha, beijinhos e até a próxima!

Posts Relacionados

0 Respostas

Tecnologia do Blogger.

Se inscreva na Newsletter

Curta-nos no Facebook