Resenha: Sonata Em Punk Rock - Babi Dewet

22:10



Título: Sonata Em Punk Rock 
Título Original: Sonata Em Punk Rock 
Autor (A): Babi Dewet
Editora: Gutenberg
Ano de Edição: 2016
Número de páginas: 304
Nota: 10/10
Sinopse: Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.
____________________________

Sonata Em Punk Rock, aborda assuntos como sonoridade, machismo, homofobia e preconceito racial, a autora narra uma história que é muito próxima da realidade, onde, com exceção de “Kim”, todos os personagens possuem nomes em português e todos os acontecimentos ocorrem em uma escola de música no Rio de Janeiro-RJ. Além disso, as referências que Babi Dewet utiliza são muito atuais: Harry Potter, Cartoon Network, Laboratório de Dexter, Dexter… que faz com que o jovem leitor acabe se identificando ainda mais com a história apresentada no livro.
Valentina Gontcharov, ou Tim, como prefere ser chamada, leva uma vida muito simples com sua mãe. O amor pelo punk rock e o desejo de viver da música foram aos poucos deixados de lado, a situação financeira não era das melhores, mas ao descobrir ter o ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, uma das maiores escolas de música do país, Valentina vai acabar contando com uma forcinha do destino. Seu pai, um famoso violinista. que sempre foi ausente em sua vida, resolve se redimir e ajudar a garota a realizar seu sonho de ingressar na escola de música. 

"A verdade é que quando se faz o que gosta, tudo começa a fazer sentido e valer a pena." 

E assim começa sua jornada a tão sonhada Cidade da Música. Seu atrativo começa pelo fato que a Academia Margareth Vilela gira em torno nessa cidade. Cheia de expectativas e sonhos, Tim percebe ao chegar que a realidade por lá é outra: as pessoas são muitos diferentes uma das outras, sendo bem difícil de fazer amigos, além que todos a olham como "esquisitona", Tim tem que aprender a lidar com muitos desafios. O Conservatório é pura riqueza desde a entrada até os dormitórios, o mesmo para a música, com um foco enorme na música clássica, o que para Tim não é algo interessante, ainda mais com todo seu estilo agitado e sua alma Punk Rock.
Não contava que o talentoso, lindo e arrogante Kim cruzaria seu caminho nessa trajetória de forma impossível de se ignorar. Como alguém conseguiria deixar de lado um homem lindo, asiático e talentoso daquele jeito?
Kim, entretanto, por trás de toda a fachada de filho da diretora, melhor pianista do conservatório tem muitos problemas. Dentre eles, um transtorno de déficit de atenção. É muito difícil para ele colocar suas ideias em ordem e mais difícil ainda ter que conviver com todas aquelas pessoas superficiais, que só se aproximam dele por interesse (ou em seu status, ou em seu talento, ou em sua beleza). Mas, já que a sua mãe faz questão de exibí-lo, ele aceita, afinal é tudo pela música, sua grande paixão. Até conhecer Valentina. Com todo seu caos, Tim parece ser a única que coloca ordem no turbilhão de pensamentos na cabeça de Kim, pois, assim que se aproximam, Träumerei, de Schumman, começa a tocar em sua mente e tudo faz muito mais sentido, tornando-o, inclusive, uma pessoa melhor. 
Ao longo do livro, notamos o quanto a Tim amadurece em sua trajetória, encarando de frente o Piano, e aderindo seu lado de musicista clássica, o qual até então não saberia sequer que existia. Tim e Kim nos proporcionam momentos de altos suspiros. Mas nem tudo são flores, já que, as vezes, dá vontade esmagar o garoto por ser tão certinho e teimoso.
A autora trabalhou questões muito importantes para todas as idades, e usou muito a representatividade, inserindo características maravilhosas em todos os seus personagens, mesmo empregando suas ideologias, tudo isso foi feito de uma maneira muito natural e contextualizada, então temos a temática LGBT, racismo, feminismo, deficit de atenção, tudo trabalhado de uma forma linda e que leva o leitor a refletir muito sobre esses temas. Além disso, diversas referências a cultura pop, o universo geek e cultura asiática, o livro é um prato cheio pra quem curte tudo isso, além de uma playlist maravilhosa que vai de Beethoven a The Runaways num segundo, muito encantador, que você pode conferir na integra CLICANDO AQUI!
Cada capítulo é o nome de uma música, então, coloque os fones de ouvidos antes de iniciar a leitura. Além das diversas referências que a autora espalha pelo livro. Juro que depois de ler, sou capaz de reconhecer muitas músicas clássicas e estou com uma louca vontade de aprender a tocar piano. Acho que já consegui responder tudo, não preciso falar da capa pois já vimos o quanto é maravilhosa a escrita é leve e inspiradora. nos enche de sonhos e músicas, nada mais do que a própria Babi.

Espero que tenham gostado da resenha meus amores.
Beijinhos e até amanhã!

Posts Relacionados

0 Respostas

Tecnologia do Blogger.

Se inscreva na Newsletter

Curta-nos no Facebook