Bienal do Livro de Minas: Dia 15

22:26


Hello meus amores como vocês estão? 
Eu estou perfeitamente bem hoje, e como sendo um dia que venho comentado a muitooo tempo, coloca muito nisso. Pois é, hoje iniciou a Bienal do Livro de Minas e como prometido, e eu fui. Agora vou esclarecer tudo o que aconteceu durante o meu dia louco de Bienal, vem comigo!
Iniciando o meu dia, fui para a escola como uma boa aluna, com um sorriso de orelha a orelha, porém algo desastroso apareceu, dor de cabeça, sim, muita, muita dor que quase me fez desmaiar nos braços do professor de geografia. Nesta hora é claro, ligaram para minha casa pedindo que me buscassem e me levassem de volta, assim que vieram me buscar, não tive sossego nenhum, pois recebi muita massagem nas costas das minhas irmãs, pulando em mim, sim você leu corretamente, pulando em mim como se eu fosse uma cama elástica.
Depois de me alimentar, me "arrumar" fui para o ponto de ônibus como uma pessoa normal, mas sabendo que ninguém é normal, algo a mais tinha que dar errado, e deu, esqueci todos os meus documentos em casa e tive de voltar e correr novamente para o ponto à espera da minha Ferrari (só que não).
Assim que chego ao metrô, compro meus bilhetes (ida e volta) e assim que chego a estação Gameleira, entro pelo túnel que liga metrô/Expominas/Bienal. Passado pelo túnel, recebo um vale-desconto no meu ingresso. Pulando a parte de enfrentar fila e comprar o ingresso chega a hora esperada que seria entrar na Bienal e me deparar de cara com a Stande da Leitura, onde, claro, foi uma das primeiras lojas que entrei kk. Depois de me acalmar e me renovar com o cheirinho de livros novos no ar fui andar em torno da Bienal saber o que havia de comer e beber, onde ficava os banheiros, bebedouros, gravar os percursos par se chegar as minhas stands preferidas e saber quais autores estavam lá. E por falar em autores, sabe qual lindeza estava solitária na Bienal sem uma amiga par conversar? A FML Pepper, sim amores, a própria autora de Não Pare, imagina como fiquei sabendo que la estava ali na minha frente conversando comigo? Eu estava paralisada, sempre venerei ela, mesmo ela não sabendo disso, sempre lia as resenhas dos livros dela e a acompanhava nas redes sociais mas nunca tive a oportunidade de comprar o livro dela ou simplesmente conhecê-la. Sinceramente, ela é um amorzinho de pessoa e depois de 30 min contados no relógio conversando sobre os livros, a Bienal e a vida, acabei pegando um pouquinho daquele sotaque gostoso de ouvir hehe. Depois dela conheci Mallerey Cálgara autora do mini-livro Como "se dar bem" em um encontro casual, JC Ponzi autora do livro Seduzida pelo perigo, além de várias outras autoras novas e lançamentos de livros. Revi também a autora Bibi Ribeiro e pela primeira vez pude ter contado com o Augusto Alvarenga autor do livro Um amor, um café & Nova York 1 e 2 e lógico, tiramos fotos e dei o marcador do blog para ele, que inclusive adorou e disse que logo logo aparece em algum comentário na página, estou torcendo para que isso aconteça. 
Antes de mais nada gostaria de esclarecer o motivo da minha ausência na Conexão Jovem das autoras do livro Um ano inesquecível, sim eu cheguei a tempo para ser a senha 50 e poucos e sim eu tinha tempo para ficar na fila e sim eu queria ver a Bruna, a Thalita, a Paula e a Babi, mas por minha conta resolvi não arriscar, como já havia passado mal na parte da manhã eu preferi apenas andar, entregar meus marcadores e conversar com outras autoras, desta forma, peço desculpas as meninas que vieram lamentara minha não ida ao encontro. 
Agora falando fisicamente, financeiramente e gulosamente falando a Bienal não me deixou de oferecer nada por enquanto, não sinto que faltou algo e espero que continue desta forma até dia 24. O ambiente é bastante apropriado, os tumultos não tenho nada a reclamar por ser sexta-feira e 1º dia achei a quantidade de pessoas bastante comum, devo comentar que em comparação com a Bienal de 2014, esta se articulou muito melhor, preenchendo o seu espeço de uma forma organizada, os números de standes aumentaram o que deixou meus olhos vidrados o tempo todo, a variação de preço de um box a outro tem quase 0 de diferença, só quando o livro encontra mesmo em grande estoque em uma stande, para que eles façam uma promoção de 5 a 30% do preço real. Sobre as guloseimas, comidas, quitutes, docinhos, gordurisses, eles arrumaram de uma forma espaçada desta vez, espalhando-as em cada reta do retângulo que era a Bienal.

Livros Comprados:
- Não pare! FML Pepper (R$ 30,00)
- Não olhe! FML Pepper (R$ 35,00)
- Mentira Perfeita. Carina Rissi (R$ 42,90)
- Como "se dar bem" em um encontro casual. Mallery Cálgara (R$ 5,00)
- Guerra civil. Stuart Moore - livro de presente (R$ 20,00)

Valor Gasto:
Total: 150,45

Prato do dia:
Churros - R$ 5,00
Batatinhas - R$ 6,00

Marcadores pegos:
Total: 268


Para quem foi a Bienal, muito obrigada, a todos os receptivos autores, as minhas leitoras e leitores mais lindo do Brasil, a todo o carinho que recebi, a todas as blogueiras que conheci, vocês são muitoooo fofos, muito obrigada mesmo, de coração.
Por fim, espero que tenham gostado desse post, e que caso morem na região metropolitana de Minas Gerais que deem uma passadinha na Bienal, não só pelos livros, ou por minha causa, mas pelo que ele te proporciona, é mágico. Beijocas e até amanhã.

Posts Relacionados

0 Respostas

Tecnologia do Blogger.

Se inscreva na Newsletter

Curta-nos no Facebook